quinta-feira, 21 de abril de 2016

{Vamos Falar Sobre} O Crespo No Ambiente de Trabalho


Raim! Como estão?

Hoje eu vou falar sobre um assunto que vem dando uma coisa no coração faz um tempinho (não, não é doença), algo que vem me incomodando um pouco, que é: Como o mercado de trabalho enxerga os negros que assumem o crespo dos seus cabelos. Vem cá, que hoje o assunto é um pouco sério.

Bom, recentemente eu tive uma entrevista de emprego e alguns dias antes, minha mãe me falou: "Corte esse cabelo, porque senão, você pode ser eliminado antes mesmo de entrar na sala de entrevista". Minha reação, na hora, foi de revolta, incredulidade e negação. Eu não queria cortar meu cabelo, principalmente porque eu nem tinha chegado na minha meta de altura, mas depois de algumas pesquisas e relatos, eu percebi que não sou apenas eu que tem esse problema com o cabelo, mas muitas pessoas negras e isso aumenta ainda mais quando essa pessoa tem o corpo de um homem.

Depois de um pouco de relutância, eu cortei meu cabelo, mas com aquela dor no coração que uma criança tem ao ver que seu doce foi roubado, e o que mais me dava autoestima, no momento, foi retirado "à força" de mim (duas vezes). Logo, a minha entrevista não foi das melhores, eu não me sentia totalmente eu naquela entrevista, me sentia pelado no meio de um monte de gente vestida. A minha identidade, meu eu, não estava sendo entrevistado, mas sim, alguém que estava desconfortável e desconfiante, porque o meu crespo e identidade não estavam comigo, mas em um saco de lixo qualquer.


"Mas, Cam, é só um cabelo! Ele cresce de novo!" Eu sei que sim, já estou deixando-o crescer novamente, mas do que adiantou todo o cuidado, paixão e sonho de alcance dado ao cabelo, se eu teria de cortar na metade do processo para uma entrevista de emprego que, talvez, bem provavelmente, eu nem vá conseguir a vaga!? Se eu não for chamado, o corte, o cuidado e o amor desenvolvido, foram todos por água abaixo.


A que ponto quero chegar com essa postagem? Sinceramente? Nem eu sei, exatamente. Pode ser mais um desabafo do que uma postagem, em si. Mas o que quero dizer é que: Nós, negros, não podemos deixar que nossa identidade seja roubada por causa de um trabalho específico, não podemos deixar nos influenciar pelo o que os outros dizem da nossa certa aparência para isso. Sabe por quê? Porque por mais que você queira e precise daquele emprego, que a renumeração seja maravilhosa, parte da sua identidade/felicidade/autoestima não estará com você e esse sentimento de falta, acredite, não é agradável. 

Nosso black não limita a nossa formação, nossa inteligência, ou qualquer que seja o adjetivo. Nosso black não limita, ele apenas fortifica e empodera. Se a empresa não quer o meu cabelo, ela também não me quer.

Outro dia eu estava lendo uma entrevista, onde diziam que os crespos ficavam apenas no níveis mais baixos da empresa, porque quanto mais sobem, mais seus cabelos ficam para baixo. Porque crespos simbolizam revolta e não é a apresentação ideal para uma empresa.

Revolta? Pode até ser da minha parte, mas não é isso que o afro representa, mas sim nossa raça, nossa cor, nossa origem e não devemos apagá-la apenas para agradar aos olhos alheios e abaixar a nossa autoestima. Nossos cabelos não são lisos e não devemos alisar para entrar no padrão que os brancos impõem. Nós somos negros e nos caracterizaremos como negros. Podemos até alisar, mas se essa for a NOSSA vontade. Um emprego não vale mais que a nossa identidade, sinto muito corporação. 

Ah! Tenho algo a acrescentar: Não vou mais cortar o meu cabelo, se essa não for a minha vontade. Não vou mais cortar uma das minhas fontes de felicidade. Não vou mais apagar quem eu sou. Apenas não vou.

        

Só isso que tenho para falar e não se esqueça de se inscrever no blog, aqui do lado, para ficar ligado quando uma nova postagem sair e se quiser, ali em cima tem todas as minhas redes sociais, caso queira me acompanhar! Até a próxima publicação!

3 comentários:

  1. Nossa, esse post bateu forte no meu coração. Não tenho Black, meu cabelo é cacheado e muito volumoso, e é o meu amor, minha marca registrada, minha identidade, é quem eu sou. Sofro preconceito até dentro da minha própria casa, minha avó odeia meu cabelo e quando alguém elogia ela se revolta, pq acha horroroso. Faço faculdade de fisioterapia e já sofri preconceito em alguns hospitais, é algo que, querendo ou não, mexe muito com a gente. Sou morena clara, minha avó (mãe da minha mãe) é negra que não se aceita negra, é a família do meu pai é toda branca (incluindo alguns racistas na conta), e eu sinto uma certa diferença, é diferente quando meu avô (pai da minha mãe ) me chama de neguinho, é quando algumas pessoas da família paterna chamam. Mas eu me identifico negra, amo meus traços negros, tenho orgulho do meu cabelo, aprendi a ter orgulho do meu "nariz negro demais pra quem não é negra". Entendo totalmente e me identifico com seu post, e rezo pra que um dia a gente simplesmente não precise mais mudar nada na gente, pra se adequar ao que acham certo, ou pra agradar alguém. P. A.: amei o blog ♡♡♡♡

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Cara eu sinto muito de verdade pelo o que lhe impuseram a fazer apenas por uma possivel vaga de emprego, eu acho extremamente absurdo o que o mercado de trabalho nos leva a fazer apenas por sermos nós mesmos. Eu passei por uma situação parecida, claro que não cortei meu cabelo porque eu jamais faria isso para agradar ninguem, muito menos uma empresa que só se importa com dinheiro, acontece que há algumas semanas fui entregar curriculo em um estabelecimento e assim que passei pela porta de entrada observei atraves de um espelho uma funcionária torcendo o nariz em direção ao meu cabelo. Eu não me abalei mas achei completamente estupido a proporção de até aonde um preconceito estupido chega. E não corte o seu cabelo novamente a menos que você queira, sei o que você sente, pois meu cabelo também diz muito sobre minha personalidade e nao me imagino sem ele, muitas pessoas me dizem que devo cortar e eu apenas sorrio e digo quanto maior melhor. Eu amo quem sou por ser exatamente assim, e é isso. Beijo grande

    espero que esteja bem <3 e que o mercado de trabalho um dia mude

    me faz uma visitinha:
    http://www.meninocomestilo.com

    ResponderExcluir

Vem me deixar feliz e interaja comigo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...